Contato:

Agende sua consulta ou entre em contato através do formulário abaixo para tirar as suas dúvidas e/ou obter informações referentes ao seu atendimento.

Retornarei seu contato em até 24h.

Preencha os dados abaixo.

* indica campo obrigatório.

© 2019 Todos os direitos reservados. Por Diego Designer

SC 401 Square Corporate

Rodovia José Carlos Daux, 5500

Torre Lagoa B, Sala 213 - Saco Grande

Florianópolis-SC - CEP: 88.032-005

Links_úteis.png
Referências_bibliográficas.png
WhatsApp_.png
WhatsApp_icone.png

COMPULSÃO alimentar

Compulsão Alimentar

O que é?

O Transtorno de Compulsão Alimentar (TCA) é um comportamento disfuncional cujo padrão alterado do consumo de alimentos traz consequências à saúde tanto física quanto psicológica.

O TCA envolve os sistemas neurais de recompensa e de autocontrole como ocorrem nos demais comportamentos aditivos. Estes sistemas são responsáveis pelo desejo imperativo de repetir as emoções consideradas prazerosas.

Embora haja a influência genética no surgimento do transtorno, os fatores sociais e psicológicos são preponderantes.

Entre fatores desencadeantes dos episódios de compulsão alimentar estão os afetos negativos, como tristeza, raiva e frustração. São também apontados como gatilhos o estresse nas relações interpessoais, as dietas muito restritivas, as pressões sociais, o tédio, etc.

Há a crença de que o consumo exagerado de alimentos trará um alívio imediato aos problemas, porém o que se percebe a longo e médio prazo é o aumento do sofrimento e a qualidade de vida afetada por sentimentos de fracasso e tristeza.

Quais as principais Características?

  • Alimentar-se exageradamente e um curto espaço de tempo.

  • Sensação de não conseguir parar de comer.

  • Comer até sentir um desconforto físico por comer demais mesmo sem fome.

  • Vergonha.

  • Isolamento durante os episódios para esconder dos demais o comportamento exagerado.

  • Sofrimento intenso acompanhado pelos sentimentos autodepreciativos.

  • Culpa.

  • Depressão.

Qual o tratamento?

As Terapias Cognitivo-Comportamentais (TCCs) serão as abordagens de referência para o tratamento do TCA visto que são apontadas pela literatura como abordagens de escolha para este transtorno.

Isso se deve as respostas positivas obtidas durante o tratamento psicoterapêutico e ao fato das mudanças de comportamentos permanecerem mesmo após o término desse processo.

Para obter uma maior eficácia no tratamento a orientação familiar é realizada conjuntamente a psicoterapia individual.

O objetivo central do tratamento está na autorregularão de ingestão de alimentos. E essa meta será atingida por meio de:

  • Conscientização da necessidade de mudança.

  • Desenvolvimento das motivações para realização da mudança.

  • Encontro de formas mais adequadas para enfrentar as situações de risco.

  • Aumento da autoconfiança.

  • Deixar de pensar na comida como solução para os problemas.

  • Lidar com sentimento de culpa.

Em algumas situações pode ser indicado o tratamento com outros profissionais da saúde para ampliar as possibilidades de sucesso.

Referências: