WhatsApp_icone.png

COMPULSÃO

sexual

Compulsão Sexual

O que é?

A Compulsão Sexual ou Transtorno de Comportamento Sexual Compulsivo (TCSC) foi recentemente classificado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como parte dos Transtornos do Controle de Impulsos. Significa que o TCSC deixa de ser entendido como um apetite sexual excessivo e passa a ter uma conotação mais patológica.

O TCSC está definido no manual de Classificação Internacional de Doenças (CID-11) como “um padrão persistente de falha no controle de impulsos sexuais intensos e repetitivos ou impulsos que resultam em comportamento sexual repetitivo”.

A pessoa com TCSC tende a fracassar em resistir ao impulso da gratificação sexual imediata e sente-se coagido a repetir o ato, mesmo sabendo dos danos que possa causar para si ou para as pessoas próximas.

Compulsão-sexual_Eros-e-Psiquê_.jpg

Os prejuízos incluem gastos financeiros, desestabilidade dos relacionamentos com cônjuges ou amigos, doenças sexualmente transmissíveis, entre outros.

Este padrão aditivo de comportamento sexual busca a satisfação das fantasias tanto por meios virtuais quanto reais.  Se valendo do uso descontrolado e excessivo de sites de relacionamentos e pornografia ou através de múltiplos parceiros sexuais ocasionais.

Quais as principais Características?

  • Atividades sexuais repetitivas e persistentes.

  • Negligência com a saúde, cuidados pessoais, atividades, responsabilidades ou outros interesses.

  • Esforços mal sucedidos para reduzir significativamente o comportamento sexual repetitivo apesar das consequências adversas e da pouca ou nenhuma satisfação com o ato.

  • O comportamento sexual repetitivo vira o foco central na vida da pessoa.

  • Causa acentuado sofrimento.

  • Danos pessoais, familiares, sociais, educacionais, ocupacional ou outras áreas importantes de funcionamento.

  • Remorso ou culpa por comportamentos ou impulsos sexuais inconsequentes.

  • Rebaixamento da qualidade de vida. 

Qual o tratamento?

Através das Terapias Cognitivo-Comportamentais (TCCs) serão aplicadas técnicas psicoterapêuticas que fornecerão subsídios para o desenvolvimento do autocontrole dos impulsos sexuais repetitivos.

Em psicoterapia individual será trabalhado inicialmente a quebra dos sentimentos contraditórios em relação à mudança de comportamento (ambiguidade). Esse processo precede a conscientização do problema e das consequências comportamentais.

Também será feita a análise criteriosa do papel ocupado pelo comportamento sexual compulsivo na vida da pessoa produzindo elementos importantes para atribuir novos sentidos ao ato. Esse entendimento leva a encontrar outras formas de lidar com os problemas do cotidiano e também com a própria sexualidade.

O desenvolvimento e o treinamento das habilidades sociais ajudarão a lidar com os sentimentos negativos, a tolerar o estresse e no resgate das relações interpessoais fragilizadas.

Ao aprender a lidar com situações de risco não apenas recaídas serão evitadas como também aumentará a capacidade de acreditar em si e no seu processo de mudança.

A orientação familiar é parte integrante do tratamento psicológico aumentando os resultados positivos do processo. Quando necessário o cliente será orientado a também inserir a ajuda de outros profissionais da saúde em seu tratamento.

Referências: